domingo, 22 de novembro de 2015

Os miúdos querem deixar marca.

Depois de uma pausa longa para jogos de selecções, o FCPorto B voltou à competição, desta feita, a contar para a Premier League International Cup. A equipa B do Porto já tinha uma vitória na competição frente ao Shalke 04 e voltou a vencer, desta vez a equipa do Everton por 3-2.

Luis Castro fez várias alterações no onze habitual. Raul Gudino manteve-se na baliza, mas para a linha defensiva entraram Rodrigo (Victor Garcia jogou pela equipa principal) e Rui Moreira (o jovem médio foi adaptado a central) que se juntaram aos mais rodados Verdasca e Rafa. No meio campo, Tomás voltou a ser titular fazendo companhia aos habituais titulares Francisco Ramos e Graça. No ataque a grande novidade foi Cláudio (extremo emprestado pelo Vitória de Guimarães). Ismael Diaz e André Silva completaram o trio atacante.

De realçar que a equipa de reservas do Everton foi reforçada para este jogo com jogadores da equipa principal.

Mas vamos ao jogo...

A equipa B do FCPorto entrou com enorme personalidade no jogo e exerceu grande domínio em toda a primeira parte. Grande parte desse domínio deveu-se ao meio campo. Tomás cortava as linhas de passe do adversário, Francisco Ramos pautava todo o jogo do Porto e Graça esteve incansável (como é costume) na procura da bola.

Os homens da frente agradeciam. Ismael Diaz nunca pediu licença para acelerar e deixar para trás meia equipa do Everton, enquanto André Silva e Cláudio optavam por um jogo de combinações.

Não foi preciso esperar muito para ver o primeiro golo portista. Numa jogada de contra ataque, Ismael liberta Rafa na esquerda e o lateral galga metros para servir na perfeição André Silva. Simples mas bonito.

No entanto, o FCPorto não parou por aí. Mais uma vez Ismael Diaz esteve na jogada. Desta vez serviu Cláudio que com um belo remate colocado aumenta a vantagem.

O Everton parecia perdido em campo, banalizado pelo talento destes miúdos. E o resultado podia mesmo ter aumentado, não fossem as perdidas de Ismael e Cláudio.

Do outro lado, a defesa portista assistia calmamente ao jogo e Gudino resolvia com serenidade todos os percalços.

Intervalo. O FCPorto vencia justamente por 2-0.

O início de segunda parte não foi muito diferente. Mais uma vez o FCPorto por cima no jogo. Cláudio viu mesmo cartão amarelo por simulação num lance em que devia ter sido marcada uma grande penalidade.

O Porto continuava a jogar bem, sempre em apoios e com grande maturidade.

No entanto, aos 60 minutos, Luis Castro decide retirar Francisco Ramos e colocar Omar Govea (provavelmente para poupar o médio). Esta alteração mexe sem dúvida com a equipa, que recua demasiado no terreno e se torna muito mais passiva. Graça também já estava esgotado por esta altura.

O Everton passa assim a comandar o jogo. Mais bola e mais perigo junto à área do FCPorto. Nesta fase, Rodrigo sobretudo passa por dificuldades. No entanto, Gudino exibiu-se a grande nível e só não conseguiu mesmo parar o remate fulminante de Connolly.

Previa-se algum sofrimento extra para os jovens dragões, mas numa chegada à frente Ismael Diaz sofre falta para grande penalidade e ele próprio converte o castigo máximo.

O Porto ainda cria mais oportunidades por Fede Varela (que entrou entretanto), Rodrigo, Ismael e Leonardo (também entrou).

O Everton ainda viria a reduzir numa jogada em que Verdasca fica no chão lesionado. No entanto, a vitória do FCPorto viria mesmo a confirmar-se.

Os jovens dragões ficam assim apurados para a próxima fase da competição quando ainda falta jogar 1 jogo da fase de grupos.

Análise individual:

Raul Gudino: Impecável. Sempre seguro com defesas complicadas. Por duas vezes a tirar o golo "certo".

Rodrigo: Foi o mais massacrado da defesa já que o Everton preferiu quase sempre o seu lado para atacar. Perdeu e ganhou lances na defesa e tentou ajudar no ataque. Um erro grave num passe ia dando golo ao adversário.

Verdasca: Comandou a defesa e não desiludiu. Algum azar no último golo do Everton já que se lesiona e o Everton acaba por aproveitar-se disso para marcar.

Rui Moreira: Um belo passeio pela defesa. Dois cortes decisivos e uma série de boas intervenções.

Rafa: Crucial no primeiro golo. Fez uma exibição regular e madura.

Tomás: Muito bem no trabalho defensivo. Menos bem nos passes longos que tentou fazer. A entrada de Omar veio baralhar o meio campo e também ele baixou de produção.

Francisco Ramos: Melhor em campo. Viu-se a sua importância no momento em que saiu. Pautou o jogo com mestria e fez da equipa um espectáculo de marionetas que ele próprio dirigiu. Elemento crucial.

Graça: Muito bem enquanto as pilhas duraram. A habitual entrega ao jogo.

Ismael Diaz: Esteve nos 3 golos e foi decisivo. O resto foi o habitual: velocidade e potência.

Cláudio: Aproveitou bem esta oportunidade. Esteve sempre envolvido no ataque e marcou mesmo um golo de belo efeito. No entanto, podia ter ajudado mais nas tarefas defensivas onde deixou sempre Rodrigo muito sozinho.

André Silva: Um golo à ponta de lança e um belo jogo na sequência dos que tem feito.

Omar Govea: Entrou para uma posição que não costuma ocupar e acabou por empenar a máquina.

Fede Varela: Um bom remate.

Leonardo: Uma perdida escandalosa.

FICHA DE JOGO
EVERTON-FC PORTO B, 2-3
Premier League International Cup, Grupo B, 2.ª jornada
22 de Novembro de 2015
Goodison Park, em Liverpool

EVERTON: Joel Robles (g.r.); Tony Hibbert, Callum Connolly, Muhamed Besic, Mason Holgate, Jonjoe Kenny, Joe Williams, Leigthon Baines; Courtney Duffus, Kieran Dowell e Sam Byrne.
Substituições: Anthony Evans por Courtney Duffus (41m), Harry Charsley por Leighton Banes (46m), Liam Walsh por Muhamed Besic (65m)
Não utilizados: Mateusz Hewelt (g.r.), Davies. Jordan Thorniley, Tyrone Duffus
Treinador: David Unsworth

FC PORTO B: Raúl Gudiño (g.r.); Rodrigo, Diogo Verdasca, Rui Moreira e Rafa; Tomás Podstawski, Francisco Ramos (cap.) e Graça; Cláudio, Ismael Díaz e André Silva
Substituições: Omar Govea por Francisco Ramos (60m), Fede Varela por Graça (75m), Leonardo por André Silva (83m)
Não utilizados: Filipe Ferreira (g.r.), Enrick, Sérgio Ribeiro e Ruben Macedo
Treinador: Luís Castro

Ao intervalo: 0-2
Marcadores: André Silva (6m), Cláudio (12m), Callum Connolly (75m), Ismael Díaz (81m), Harry Charsley (86m)

Disciplina
:
cartão amarelo a Cláudio (55m), Harry Charsley (72m)


Por: Prodígio 

Enviar um comentário
>