quarta-feira, 16 de julho de 2014

Sinais animadores na “Oficina das Antas”

#FCPorto #Espanha #Holanda #Indi #Tello #Brahimi #BluePunisher










Em plena pré-temporada ainda com muito por definir, e várias interrogações a pairar sobre qual será o plantel que o técnico Espanhol Julen Lopetegui poderá contar em 2014/2015, eis que surgem sinais animadores na “Oficina das Antas”.








São contratações que “deixam a sensação” de seguir um critério, um plano, um objetivo, ao invés do que nos fomos habituando nos últimos três anos, com excesso de contratações para determinados sectores e carência noutros.

Os vulgarmente designados “contentores de jogadores”, “contendo” vários jogadores para a mesma posição em campo, ou para todas as posições exceto para as mais carenciadas no plantel parece que deixará de ser o “modus operandus” da SAD do FC Porto em 2014/2015. E em boa hora veio esta mudança!

As primeiras impressões que ficam da preparação da nova temporada são para além daquilo que nos transmite a comunicação social, os sinais que são enviados para o exterior e até para o interior. A temível torre do Olival que “viajou” também para o estágio em Horst na Holanda põe em sentido os preguiçosos, acabara-se as baldas e as artimanhas nos treinos tudo é registado para “dissecação em laboratório”. O treinador tem corrigido de forma incansável situações pertinentes nos treinos e deixado a mensagem forte aos atletas “joguem simples nada de tonterias” (tonterias um novo vocábulo que ganhamos com o Basco Lopetegui).

As notícias mais recentes confirmam Bruno Martins Indi como reforço, aparentemente o Cristián Tello, e o Brahimi já está no Porto a ultimar os detalhes e formalismos da sua transferência também. Se juntarmos a este trio o Óliver Torres, Adrián Lopez, substitutos para o Fernando, Mangala, Alex Sandro, Jackson e um guarda-redes de topo, o plantel de 2014/2015 promete e de que maneira!

Sem querer entrar em euforias desmedidas e desaconselháveis, tal a velocidade com que as coisas mudam no futebol, parece-me que este ano a SAD do FC Porto (“com motivação extra” após o desastre verificado na última época) está a trabalhar afincadamente e a todo o gás para dotar o plantel sénior com condições de lutar pelo título, qualificação para a Liga dos Campeões e também para ir o mais longe possível nesta prova.

Claramente a construção do plantel 2014/2015 não só pelas caras novas já confirmadas, por aquelas que deverão estar a ser anunciadas por horas e de outras que virão, começa a ganhar credibilidade e a criar uma vaga de fundo de esperança nos adeptos e simpatizantes do FC Porto.

Mesmo que jogadores como o Mangala e Jackson abandonem o Clube, há “matéria-prima” de facto para suprir estas ausências a fazer fé nos reforços confirmados e outros que tudo indica serão confirmados (integro o avançado Mexicano Raúl Jiménez nesse lote).

Acredito que o FC Porto até poderá sair a ganhar com estas vendas e novas entradas, dado que o Jackson já há muito tempo que não anda com a cabeça “por cá”, e o Mangala apesar de ter qualidade e capacidades físicas impressionantes, ainda tem muito que evoluir para chegar aos patamares de exigência para um defesa neste Clube.

Para além das entradas e saídas, tenho observado coisas interessantes no novo FC Porto, Lopetegui tem introduzido inovações (ou nem por isso) nos treinos, tais como a célebre torre “de espionagem”, “os alemães de Bielsa” e registei com muito apreço as declarações do jovem Óliver: “Vamos jogar de várias formas distintas”.

Quererão estas declarações do Óliver dizer que finalmente o FC Porto ensaiará e aperfeiçoará um sistema tático alternativo ao 4-3-3? Espero bem que sim, pois os nossos adversários “dentro de muros” demonstraram saber anular-nos quando jogamos neste sistema, que não é o melhor em determinadas situações de jogo, tipos de terreno, perfil de adversários entre outros fatores.

No futebol moderno qualquer clube profissional de topo tem de saber adaptar-se aos ritmos de jogo, organizações táticas distintas dos adversários, condições climatéricas, climas hostis em estádios rivais, entre outros fatores, em Portugal há um fator extra, a tendência quase fanática de tentar levar o clube do regime ao colo toda uma época, valendo tudo até “arrancar olhos”!

Como seria bom se Julen Lopetegui já pudesse contar com uma base de trabalho estável até ao final deste mês de Julho! Se o plantel ficar fechado até ao final de Julho, tendo em conta que iniciaremos a época oficial mais cedo do que é habitual para disputar a pré-eliminatória de acesso à Liga dos Campeões, as probabilidades de sucesso aumentam dado que o treinador terá mais tempo para integrar e trabalhar os jogadores que ficarem e os novos que chegaram e chegarão.

A construção de uma equipa de futebol requer paciência, trabalho árduo, profissionalismo, bom ambiente e tempo, algo que a maioria dos adeptos não compreende, não tolera e refuta, pois o adepto comum vive para o imediato, pela “ilusão” de títulos o mais rápido possível. Não compreendem regra geral que nada é fruto do acaso e que como diz o ditado popular “rápido e bem não há quem”.

Não poderia deixar passar a situação do Rolando, aparentemente ficaria, até o Presidente veio a público confirmar essa permanência, e de repente sem nada fazer prever tudo muda, anda a forçar a saída e segundo uns pasquins cujo nome não proferirei aqui neste “Santuário Azul e Branco”, prepara-se para rescindir por justa causa devido a ordenados e prémios de jogo em atraso.

Não parece haver muito a fazer, deixem-no ir, e venham daí mais uns milhões como compensação. Não dou credibilidade à notícia do tal pasquim, por isso assumo que não haverá a tal rescisão por justa causa, embora nestas coisas nunca se sabe o que poderá acontecer.

Espero que o FC Porto não tenha situações de incumprimento com os seus atletas seja de que modalidade for, isso é lamentável e grave, já basta a vergonha do que tem sucedido nas modalidades ditas amadoras.

A SAD dá mostras de querer resolver as situações pendentes no plantel com celeridade, no entanto o mercado de transferências impõe “os seus ritmos e peculiaridades” a que muitas vezes mesmo com muita vontade e irrepreensível organização não se consegue contornar, e o fator tempo começa a pesar e a criar pressão.

Esperemos que tudo corra pelo melhor ao FC Porto em 2014/2015, conforme já escrevi recentemente que não ocorram lesões graves na pré-época nem durante a competição oficial, que Lopetegui seja o treinador que precisamos para “renascer das cinzas”, e saiba potenciar ao máximo o plantel que terá ao seu dispor. Algures no Atlântico este coração azul e branco bate por ti FC Porto e apoia-te incondicionalmente, boa sorte, faz-nos felizes, faz-nos sonhar!

Um grande abraço a toda a Família Portista em Portugal e espalhada pelo Mundo nesta época de férias onde muitos aproveitam para matar saudades do seu querido Portugal. Estou incluído nesse lote, as saudades são mais que muitas!

A Chama do Dragão é Eterna!
FC Porto sempre!






 Por: BluePunisher
Enviar um comentário
>