sábado, 21 de junho de 2014

Coroação



Rei “Morto”, Rei posto!
Lá diz o velho ditado
O qu’um dia coroado
Seja n’outro deposto!

Na coroação do Rei
Filipe das Astúrias!
Sej’a selecção das “fúrias”
Deposta p’la sua grei!

O Chile, outrora feudo
Dessa Castela da Mancha
Tenha ousado, na “cancha”
Insurgir-se contr’o medo!

Como mineiros soterrados
Lutaram contr’a sentença!
Sustentandos nessa crença
Dos povos então libertados!

E outro bourbon se coroa
Pr’a unificação dos reinos
Que da selecção, ao menos
Serviu tal causa “boa”!

E depois da derrocada
Que Espanha sobrevirá?
No qu’o futebol não dá
Pr’a evitar a “remontada”!?

Não vislumbro a unidade
Perdida essa no campo
Que do basco ao castelhano
Vai tod’a uma cristandade!?

E quando se perd’o símbolo
Que outorgar’a bandeira
Como tal força primeira
Tudo o mais resulta frívolo!

E ainda que seu pai
Tenha tido força de Rei!
Num tempo histórico sem lei…
É agora qu’a Espanha cai?


Por: Joker
Enviar um comentário
>