segunda-feira, 16 de junho de 2014

Fabiano: monDRAGÓN de Mundo Novo.




O Homem e o seu percurso:

Em Outubro de 1492, quando Colombo pisou as Américas, a mando de Castela, estava descoberto o Novo Mundo, pelo menos, de forma oficial (e assim evito polémicas!).

Nesse Novo Mundo, por entre a secura do Nordeste brasileiro, no estado da Bahia, havia uma terra rica em água e vegetação. O baptismo dessa terra faz justiça a esse oásis: Mundo Novo.

É neste Mundo Novo localizado no Novo Mundo de Colombo que nasce Fabiano Freitas, a 29 de Fevereiro de 1988 (faz anos no seu dia de nascimento de 4 em 4 anos). A sua infância é passada na fazenda dos pais, juntamente com os seus dois irmãos. Aos 13 anos vai estudar para a cidade de Mundo Novo e é aí que inicia o seu percurso no futebol. 

Começa no futsal, mas rapidamente, passa para as balizas de futebol. É uma atracção primordial, como diz Fabiano: “Sempre adorei voar, agarrar a bola e cair. Apaixonei-me pela posição de guarda-redes ainda menino e é uma relação para toda a vida. Adoro ser guarda-redes”.

O ainda menino, em corpo graúdo (sempre foi muito alto), começa a chamar a atenção. Em 2003, com 15 anos de idade, dá um passo decisivo na sua carreira. Dois olheiros levam-no a testes ao Sport Social Independente em Cruz das Almas, estado da Bahia. Fabiano é imediatamente aceite e o menino estabelece uma meta: ser profissional de futebol. Dura só três meses no Independente, que disputa o campeonato Baiano. António Almeida da Cruz, empresário de futebol, detecta o talento precoce de Fabiano, vence a resistência materna e com o apoio paterno, leva o menino de 15 anos para São Paulo.

Esta nova aventura leva-o à cidade de Americana no estado do São Paulo. Após um curto período de testes, assina pelo Rio Branco EC integrando a equipa Sub-17 com 15 anos de idade. Para singrar, Fabiano sofreu. Em três anos só visitou a terra natal por três vezes, vivia num hotel, treinava duas vezes por dia e estudava à noite. Além disso, começou trabalho físico específico. Nas palavras de Fabiano: “Sempre fui dos mais altos, mas era magro, demasiado magro. Tive de reforçar a massa muscular nos últimos anos e atingi um bom nível”.






Em 2007, todo o esforço compensou. O Rio Branco disputava o Paulista Sub-20 com as grandes equipas do estado de São Paulo. O Rio Branco sagra-se vice-campeão, muito à custa das exibições e das defesas impossíveis do menino de Mundo Novo. Tal era o seu desempenho, que ganhou a sua primeira alcunha: “Sobrenatural”






O São Paulo FC não deixou escapar a pérola e oferece-lhe um contracto de 4 anos e integração imediata no quadro profissional do clube.

A tarefa era gigantesca. Pela frente o ídolo de Fabiano e um mito São Paulino: Rogério Ceni. Para além de Ceni, existiam outros guarda-redes de valor como Denis e Bosco. Fabiano trabalha duro no Centro de Treinos da Barra Funda e ganha a alcunha de Mondragón (“Dragón” será coincidência?) pelas semelhanças físicas com o guarda-redes Colombiano. Em 13 de Outubro de 2007 estreia-se pelo São Paulo frente ao Fluminense, com 19 anos de idade. O Tricolor Paulista empata no Maracanã e só não perde porque Fabiano defende um penalti (ver vídeo abaixo) na estreia! Nova coincidência? Logo no ano de estreia no São Paulo, Fabiano é campeão Brasileiro!



Mesmo com uma estreia de arromba no maior palco de futebol do mundo, Fabiano não soma mais jogos nas duas épocas seguintes. Segue-se a via-sacra dos empréstimos para que o talento não fique parado tanto tempo. Começa pelo modesto Toledo do Paraná. No ano seguinte, vai para o Santo André de São Paulo. É vice-campeão Paulista, mas não consegue ser titular no modesto clube Paulista. Na segunda metade da época, vai para o América de Natal para disputar a série B Brasileira. Alterna entre a titularidade e a suplência.








O contracto com o São Paulo tinha chegado ao fim e o caminho continuava tapado por Ceni e companhia. Fabiano optou por outra aventura. O destino escolhido? O Velho Mundo!






O menino de Mundo Novo chega a Olhão. Na Olhanense agarra a titularidade de imediato, relegando para o banco Ventura, guarda-redes emprestado pelo FC Porto. Fabiano ganha logo destaque.

Não é comum ver em Portugal um guarda-redes de 1,97m e 90kg com tanta agilidade. Mas o cartão-de-visita iria ser entregue frente ao campeão FC Porto. A 5 de Novembro de 2011, a Olhanense recebe o FC Porto. O jogo é amarrado, mas o FC Porto carrega e Fabiano tudo defende. O momento do jogo é logo ao quarto minuto, a frio! Penalti para o FC Porto e Hulk para a cobrança. Fabiano defende, mas pior, defende a recarga também, novamente por Hulk (ver vídeo abaixo). A Olhanense trava o FC Porto e obriga a um frustrante 0-0, mas este Mondragón seria transformado em nosso Dragão em breve! O assédio a Fabiano começa logo no mercado de Inverno e os pretendentes abundam, dentro e fora de portas.




No final da época, Fabiano assina pelo FC Porto. A ideia inicial seria cumprir mais um ano em Olhão por empréstimo, mas a decisão estapafúrdia de acabar com os empréstimos entre clubes da primeira liga força a antecipação da chegada de Fabiano ao Dragão. Fabiano aproveita a oportunidade e soma boas exibições na pré-época. Quando a decisão sobre os empréstimos é revertida, quem segue para Olhão é Bracalli que já tinha perdido o segundo posto da baliza para Fabiano.

Segue, agora, a carreira do monDRAGÓN de Mundo Novo no Dragão.


A análise ao jogador:

Fabiano é um guarda-redes com características físicas raras. Alto e corpulento, não é um guarda-redes pesado, mas bastante elástico e de reflexos felinos. Sabe usar todo o seu corpo para ocupar o máximo de baliza possível e não tem receio de meter o corpo, mesmo em situações de maior perigo. Debaixo dos postes é um guarda-redes de elevado potencial. Pela área de abrangência e pela rapidez de reflexos.
Há áreas técnicas que precisam de ser trabalhadas. Fabiano precisa de agarrar mais as bolas que defende. Garantir, assim, que o lance termina ali e que a posse de bola está devolvida à sua equipa. Precisa, também, de melhorar a sua saída dos postes e o seu jogo de pés, aspecto fundamental num guarda-redes moderno, como pode constatar em Helton.






A ideia de empréstimo, inicialmente considerada aquando da sua contratação, permitiria somar tempo de jogo e ir mitigando as suas imperfeições, mas a qualidade de Fabiano impôs-se na pré-época. Ainda assim, a situação actual pode ser benéfica. Fabiano trabalha num quadro técnico mais exigente e pode ir somando minutos nas três competições nacionais e em alguns jogos da equipa B.






Potencial há. Resta o trabalho, mas o menino de Mundo Novo nunca virou a cara à luta.


DADOS PESSOAIS:

Nome: Fabiano Ribeiro de Freitas
Nacionalidade: Brasil
Nascimento: 1988-02-29 (24 anos)
Naturalidade: Mundo Novo (BA) - Brasil
Posição: Guarda Redes
Pé preferencial: Direito
Altura:197 cm
Peso: 90 kg
Clube: FC Porto Portugal
Contrato: 2016/06 (Cláusula rescisão 30.0 milhões EUR)

Títulos:

1 Portugal Supertaça Cândido de Oliveira
2012

1 Brasil Campeonato Brasileiro
2007


Por: Breogán
Enviar um comentário
>