domingo, 6 de maio de 2018

CAMPEÕES, CAMPEÕES!!!


CAMPEÕES, CAMPEÕES!!
O Porto é campeão
Contr’as arbitragens,
Contr’os corruptos das mensagens,
Contr’o regime da nação…
O Porto venceu
Por integral mérito,
Porque assim vencer é ter crédito
Sobre quem perdeu!
Esses que, mudos,
Não reconhecem tal vitória,
Porque pr’a eles essa glória
Os fez sisudos…
Vencemos, de pleno,
O despotismo,
O clube do cinismo
Que provou do seu veneno…
Tinham por garantido
O penta,
Porque a mensagem que s’atenta
Ficou-nos no sentido…
“Os meninos queridos”
Estavam nos lugares certos,
E os corredores estavam abertos
Pr’os lugares prometidos…
Eram as camisolas,
Eram os vouchers pr’a Catedral,
Era tudo a comensal
Pr’a comer as “esmolas”…
Er’o sobrinho
Do oficial de justiça,
Por o tio ter a premissa
De vigiar o “caminho”…
Er’o Adão
E os padres qu’ele ordenava,
Porqu’o benfica mandava
Na procissão!
Er’o Centeno,
Er’o Primeiro,
Era tod’o galinheiro
A comer do melhor feno!
Er’o Rangel
E a sua coutada,
E a decisão já tomada
No papel…
Er’o projecto
Do grande domínio,
Era maior o fascínio
Qu’o método…
Er’a decisão
De colocar os seus treinadores,
E os seus jogadores
Na “federação”…
Era tomar a imprensa
Pr’a uma única cor,
E a notícia já ter o censor
Na prensa!!
Er’a tomar o poder
E os clubes lacaios,
E por tod’os meios
Vencer!
Er’o totalitarismo
N’acção dum clube,
Era um país que s’ilude
C’o populismo!
E vencer, assim,
Um projecto totalitário,
Tem um valor plenário
Chegados ao fim…
Este campeonato
Já estava sentenciado,
E o penta era jogado
Por mero facto…
Somos campeões
Contra tal “Estado”,
Qu’o benfica tem tudo tomado,
Menos os Dragões!!
Esse “velho” reduto
Liberal;
Qu’ali a capital
Não tem salvo-conduto!
Felizmente
Que há uma cidade livre,
E qu’o regime ali emigre
Não é inocente!!
Somos campeões
Contra todos, tudo,
E isto dava um estudo
Das competições!!
O melhor clube nacional
Sistematicamente prejudicado,
Mas o esforço redobrado
Dá-nos moral!
E resiliência
Pr’a lutar lá fora,
Qu’ali ninguém se chora
Por inocência!
Nem faz zero pontos
Sendo tetra-campeão,
Porque ganhar à condição
Fazia-os “prontos”!!
E na hora certa
Lá eram expulsos,
Ou faziam pénaltis escusos
De baliza aberta!?
Até o “prodígio”
Do guardião,
Marcava golos c’a mão
Só para dar prestígio!?…
Somos campeões
C’a maior justiça,
Qu’o Porto se dá à liça
Nos seus galões!
E não esmorece
Perante o totalitarismo,
Porque um campeão tem tanto maior brilhantismo
Quanto nisso mais o merece!!
Campeões, campeões!!
Joker

Enviar um comentário
>