segunda-feira, 16 de abril de 2018

"Maior que Portugal"!?


Maior que Portugal!?

Perdeu o corrupto,
A corrupção, 
E nem a governação 
Se fez ao tumulto!

No Estádio da Luz
Não se viu o Costa,
Nem o Centeno deu à costa 
Pr'a assinar de cruz!

Mas lá foi o povo 
Deste toupeiral, 
Qu'é "maior que Portugal"
Desde o Estado Novo!

E nessa maioria 
Diz querer o Penta,
Mas já ninguém os aguenta 
De tanta gritaria...

Que foram roubados(!?),
Note-se a pertinácia...
Mas da eficácia 
Nem golos anulados...

Como aquele roubado
No Estádio do Dragão, 
Que só um lampião 
O teria assinalado...

Ou as várias situações 
Dentro da grande área,
Com vista sectária 
Em tantas televisões!?

E o sacrificado 
Daquela outra infelicidade, 
Gritou p'la liberdade 
Num pontapé blindado!

Aquele mexicano
Feito capitão, 
É o orgulho dragão 
Do ano!

Herrera,
Um Ferreira hispânico!
Um golo messiânico 
Na capoeira!!

E ter-me em loucura 
Num tal petardo, 
E gritar como um bardo 
Contr'a ditadura!!

Ter no mexicano 
O nosso Zapata!
E ver que ninguém empata 
O destino humano...

Que tod'a ditadura 
Tem os dias contados, 
E os factos mencionados 
Um dia s'os apura!

Qu'esta impunidade 
Um dia tem fim,
E a justiça, enfim,
Dá-se à equidade!

Mas se tard'a justiça 
A fazer-se à Constituição, 
No antro da nação 
Já se rez'a outra missa!

Qu'o padre nomeado 
Não lhes fez o jeito,
Qu'o fazer "bem feito"
Era ele ser marcado!?

Isto é um escândalo (!?),
Gritam na televisão, 
E o país acorda em tensão
E sonâmbulo...

A pátria da corrupção 
Perdeu mais um combate, 
Mas o polvo não s'abate 
Sem uma rebelião!

Contr'a selectividade  
Das operações "Stop",
Contr'a política pop
D'arbitrariedade!

Contr'os institutos 
Da dita juventude, 
E só se ver atitude 
Nos grandes indultos!!

Qu'o corpo d'intervenção
É que dá o peito às balas, 
Qu'os ministros usam pálas 
Contr'a corrupção!?

E fingem qu'os ilegais 
Não são um problema, 
E qu'a sua culpa é pequena 
Em tais ideais!!

É o país que temos:
Pequeno, pequeno;
Um pequeno ermo 
Onde somos menos...

Mas ninguém nos cala
Na nossa razão:
Pois qu'a corrupção 
Ocupa tod'a sala!

E essa instituição 
"Maior que Portugal",
É o nosso mal 
Como nação...

E se são mais 
Qu'a pequena nação, 
Que vão, que vão,
Pr'a outros pontos cardeais!!!

Qu'assim limpam o ar 
Do bafiento crime,
E o país, enfim, se define 
De novo a "navegar"...

Joker

Enviar um comentário
>