domingo, 12 de julho de 2015

Grandes desafios no horizonte

#FCPorto #BluePunisher



A preparação para a nova época futebolística de 2015/2016 já arrancou oficialmente para o FC Porto, e naturalmente entre a Família Portista há um forte esperança e desejo que acabe de forma triunfal, fazendo jus aos pergaminhos do Clube.

As duas últimas época foram verdadeiramente traumáticas e caímos com um enorme estrondo. Não pagamos apenas o preço dos erros que cometemos e por não “Ser Porto”. Durante grande parte da época gravíssimos erros de arbitragem ajudaram a desvirtuar por completo a verdade desportiva, e a entregar por “decreto” o título ao clube do regime.

Não deve ser certamente coincidência que um árbitro há pouco tempo internacional e na primeira categoria, Marco Ferreira designado para o jogo entre o colo colo de Carnide e o Rio Ave no Estádio dos Arcos, que os Vila Condenses venceram, não caiu bem aos poderes instalados e pagou um preço elevado.

Marco Ferreira foi alvo de despromoção no final da época, após por sido escolhido para arbitrar a final da Taça de Portugal! Continuam a ser estranhos “estes critérios de nomeação”, em Maio ao “cair do pano” na época futebolística ainda não era sabido que não cumpria os requisitos e seria despromovido? 

Este mesmo árbitro denunciou recentemente pressões de Vítor Pereira através de contactos telefónicos antes do jogo Rio Ave x colo colo de Carnide, em que terá deixado claro que o “jogo em Vila do Conde tinha de correr bem”, caso contrário não iria apitar o clássico entre o colo colo e o FC Porto em Lisboa. Resta saber o que é “correr bem” para Vítor Pereira.

Pelos vistos é uma prática normal de Vítor Pereira estes telefonemas a pressionar árbitros em “vésperas de jogos”. Pelo que vimos ao longo das duas últimas épocas, estes telefonemas do chefe dos árbitros produzem na maior parte das vezes resultados muito profícuos e benéficos para o colo colo de Carnide. 

Perante as memórias que temos bem frescas das arbitragens nacionais na última época, percebemos que já vale tudo até tirar olhos! Vítor Pereira está agarrado ao lugar, não presta esclarecimentos a ninguém, nem manifesta qualquer tipo de incómodo ou vergonha pelo estado a que a arbitragem nacional chegou. Está lá do “alto da cadeira do poder” autista, apenas olhando para o seu umbigo e desdobrando-se em esforços para agradar aos seus “padrinhos”.

Outrora muito preocupado em desdobrar-se em declarações, conferências de imprensa e explicações perante as pressões do colo colo de Carnide em torno das arbitragens, não encontrou razões para dar explicações perante mais uma época da arbitragem nacional que o deveria fazer corar de vergonha.

Assistiram-se aos mais mirabolantes e escandalosos erros de arbitragem em “catadupa” e com uma “constância estonteante” quiçá das últimas décadas, sempre em benefício dos mesmos, mas isso não foi suficiente para Vítor Pereira ter que dar-se ao “incómodo” de dar explicações. Afinal o “padrinho” está contente e feliz, conseguiu o que queria e pouco importa a forma imunda como tal sucedeu.
Os media nacionais parte do polvo que há muito domina os bastidores do futebol português, entram sempre em cena e branqueiam tudo qual “lixivia tira nódoas”, contando a versão do interesse do colo colo de Carnide! Só os papalvos comem a palha que os media nacionais vão dando, e repetem a ladainha do costume “fruta, café, leite, chocolate, apito dourado”, e assim desviam-se as atenções dos factos gravíssimos ocorridos nesta época e noutras. É uma estratégia duma simplicidade diria chocante!

Afinal quando o colo colo de Carnide vence há sempre verdade desportiva e o PIB até sobe! E não esquecer que a corrupção está toda no Norte! Enfim, a máquina de propaganda do regime no seu melhor. 

O FC Porto sempre teve de lutar contra isto, não é novidade nenhuma, nem nos deve intimidar ou levar a baixar os braços. O grande problema reside numa certa perda de “alma” do FC Porto, o espírito guerreiro e a mística parecem ter desaparecido há pelo menos dois anos a esta parte. Assistimos a um conformismo e “tolerância ao fracasso” que não eram normais no FC Porto.

O FC Porto encontrou um “canal” para diariamente fazer ouvir a sua voz, uma vez que a maioria dos media nacionais não dão praticamente “destaque ou tempo de antena” ao nosso Clube, esse canal é o boletim informativo digital Dragões Diário, que é de subscrição gratuita e recomendo a todos os Portistas a sua subscrição.

Para além de estar bem escrito, aflora outras questões para além do futebol e até os temas do momento no mundo. Infelizmente tal é o controlo que o colo colo de Carnide tem nos bastidores do futebol nacional, que não é com estas iniciativas por si só que vamos conseguir os nossos intentos.

No entanto é de saudar que os responsáveis Portistas tenham tido uma iniciativa para sair do marasmo e “silêncio ensurdecedor” a que se devotaram durante muito tempo, com o Clube a ser atacado, denegrido e prejudicado em vários quadrantes.

Outro sinal que os dirigentes do FC Porto estão a tentar ter novamente as “rédeas da situação na mão”, foi a iniciativa na Liga de Clubes em conseguir assegurar uma maioria de voto para avançar com o sorteio dos árbitros.

Pressentiu-se que não seria assim tão fácil conseguir esta mudança, e confirmou-se que a Federação Portuguesa de Futebol é apenas mais um “braço armado” do colo colo de Carnide. A vontade da maioria dos clubes esbarrou nos interesses que a Federação defende e pelos vistos o sorteio não avançará em 2015/2016.

Foi uma boa iniciativa mas também não chega. Qual é a solução? Qual a melhor estratégia para alterar o estado das coisas? Infelizmente não há uma resposta óbvia, o FC Porto tem de continuar a tentar de forma paciente, racional e estratégica várias “fórmulas” e acabará por encontrar uma que funcione. 

Saúdo novamente notar-se que finalmente os dirigentes do FC Porto têm vontade em mudar as coisas e defender os interesses do Clube, em vez de assumir um papel de meros espectadores.

O defeso anda agitadíssimo e escaldante, se alguém dissesse há uns tempos atrás que o Iker Casillas poderia vir para o FC Porto não seria levado a sério, e mais pareceria uma brincadeira de 1º de Abril. Na altura em que escrevo esta crónica o Real Madrid acaba de oficializar a transferência de Iker Casillas para o FC Porto.

Esta transferência provoca-me sentimentos mistos, por um lado sei que será um êxito comercial, no plano desportivo tenho algumas dúvidas, uma vez que Casillas tem algumas deficiências que são conhecidas (saída dos postes e lances de bola parada), e nesse particular teremos de aguardar para ver como as coisas correm antes de tirar conclusões precipitadas. Preferia por exemplo a contratação do Keylor Navas também no Real Madrid. No entanto espero estar enganado. Cá estarei para com humildade fazer o meu “mea culpa” se as exibições de Iker forem uma mais-valia para o FC Porto.

Continuando com a temática das transferências e as inevitáveis entradas e saídas no plantel do FC Porto, outro tema escaldante no momento é a eminente saída de Ricardo Quaresma, segundo consta a pedido de Julen Lopetegui, por considerar que o plantel perde mais do que ganha com a sua permanência, pelo meu ambiente que poderá criar. 

Após a pouco inteligente (na minha opinião) entrevista de Quaresma ao jornal Expresso, deixaram de existir condições para a sua permanência no FC Porto, essa é a verdade nua e crua, independentemente de gostar-se do estilo, feitio e acreditar-se ou não nas suas constantes declarações de amor ao FC Porto.

Ricardo Quaresma demonstrou desrespeito pelos seus colegas no FC Porto, também pelo seu treinador actual (mesmo que de forma indirecta) e na realidade não deixa outra alternativa à SAD do FC Porto a não ser encontrar um clube para o transferir. 

Desde que Julen Lopetegui chegou ao FC Porto notou-se que a sua relação com Ricardo Quaresma não era fácil, e Quaresma “penou” muitos jogos no banco e quando as coisas realmente estavam “feias”, Lopetegui teve de ceder e arriscar depositando em Quaresma esperanças para virar resultados.

Ricardo Quaresma já não tem a velocidade do passado, a qualidade está lá, de vez em quando faz magia com o esférico, mas isso não chega para jogar no FC Porto, especialmente porque falta algo muito importante ao “mustang” e que é um dos pilares para quem quer afirmar-se no FC Porto: saber ser um jogador de equipa em vez de um individualista.

Para além do mau feitio, vaidade, indisciplina, amuos, ego exacerbado e excessivo individualismo, Quaresma não tem sido capaz de ser um verdadeiro jogador de equipa durante grande parte da época. Não conseguiu libertar-se do vedetismo e vontade incontrolável de fazer “malabarismos”, em situações em que devia privilegiar o jogo colectivo e tomar decisões mais assertivas para o interesse da equipa.

Os jogadores desequilibradores e criativos mesmo nos grandes clubes nunca têm vida fácil, quando tudo corre bem são endeusados, quando as coisas correm mal utilizando um chavão do futebol “passam de bestiais a bestas num ápice”. Estes jogadores têm de conseguir encontrar um equilíbrio, nem sempre fácil, e resistir ao ego, ao vedetismo e pensar acima de tudo nos interesses da equipa.
A confirmar-se a saída do Quaresma, não haverá na minha opinião razões para dramas, desde que o treinador seja capaz de colocar jogadores criativos servindo a frente de ataque com qualidade, criando desequilíbrios e “rasgando defesas contrárias”. Não é fácil mas é possível com a qualidade do plantel actual do FC Porto.

O regresso para ficar do Silvestre Varela é de saudar, sempre foi um jogador muito útil, e extremamente trabalhador em campo, para além de poder fazer a posição do Quaresma, a experiência que já tem e o facto de já conhecer bem o FC Porto é uma vantagem.

Outras saídas como a do Fabiano eram previsíveis, é uma boa solução para ele e para o FC Porto, uma vez que precisa de jogar. A confirmar-se a venda do Diego Reyes à Real Sociedad também será bom para todas as partes, Reyes não conseguiu afirmar-se no FC Porto e não terá vida fácil também esta época, pelo que para poder jogar com regularidade é uma boa opção a sua saída.

Sobre as contratações ainda há muitas pessoas incrédulas pelo FC Porto ter desembolsado 20 milhões de euros por um jogador, médio defensivo, que dizem ter potencial para ser o novo Patrick Vieira!

Podem dizer o que quiserem mas esta contratação parece uma “jogada de casino de alto risco”, Imbula vindo do Marselha com apenas 22 anos não vale 20 milhões neste momento digam o que disserem pois ainda tem muito que provar. Esperemos que a SAD do FC Porto não se tenha enganado e tenha descoberto um grande talento que será rentabilizado no futuro com uma venda muito lucrativa.

Naturalmente desejo ao Giannelli Imbula as maiores felicidade e quando o vir jogar nem me vou lembrar dos 20 milhões (pelo menos vou tentar!). Ainda sobre o meio campo defensivo, o “desvio” de Danilo Pereira do sporting para o FC Porto sabe bem, nem que seja só para dar uma alfinetada ao presidente do clube dos viscondes falidos que bem precisa de ser colocado no lugar.

Danilo Pereira tem potencial para afirmar-se no imediato, esperemos que assim seja, a posição de médio defensivo é fundamental num clube como FC Porto. A questão do Quintero preocupa-me, este jogador poderá tornar-se noutro Iturbe, infelizmente tarda em afirmar-se e sempre que lhe são dados uns minutos desilude e muito!

Algo tem de mudar ou então o Quintero deixará de ser uma opção válida e realista para esta época, falou-se de potenciais empréstimos, o que só concordo se forem para campeonatos e clubes que o possam ajudar a crescer como jogador, e não um regresso à América do Sul onde o futebol praticado está a “anos-luz” das exigências do futebol europeu.

Quanto aos nossos principais adversários, infelizmente o sporting conseguiu contratar o Bryan Ruiz e parece que o Teófilo Fernández também vem a caminho, são dois jogadores de grande qualidade que poderiam perfeitamente estar no plantel do FC Porto. 

Quanto ao colo colo de Carnide não se vê grande coisa até ao momento em termos de contratações, mas a APAF continua de  “pedra e cal” para o que der e vier e já sabemos que vão jogar sempre com 14. Quem pensou que o colinho ia acabar esta época está muito enganado. O chumbo do sorteio dos árbitros é um forte sinal de que o sistema não morreu e resistiu à tentativa de o derrubar.

Ainda sobre a nova época futebolística em preparação, nova época é sempre sinónimo de novos equipamentos como vem sendo hábito, os equipamentos da New Balance não estão maus, o alternativo “cacau” não é do meu agrado os outros estão aceitáveis. 

O que interessa é ganhar independentemente de equipamentos. Na minha opinião desde os tempos dos equipamentos da Adidas, nunca mais tivemos uma camisola principal como deve ser, ou seja duas listras verticais azuis e branco no resto da camisola.

E porque o FC Porto não é só futebol, fiquei satisfeito pela saída do Tó Neves do comando da equipa sénior de hóquei em patins, infelizmente ficou muito aquém das expectativas e exigências e era mais do que altura de mudar. 

Desejo as maiores felicidades e sucessos ao novo treinador Guillem Cabestany, e acalento o desejo de ver finalmente o FC Porto vencer a Liga dos Campeões Europeus em hóquei (se é assim que é designada) que já nos escapa há anos, para além de como é óbvio recuperar o título nacional de hóquei em patins.

No andebol lamento a saída do treinador Ljubomir Obradovic que fez um grande trabalho no FC Porto, vai deixar certamente saudades. Desejo a Ricardo Costa o seu sucessor as maiores felicidades e sucessos para a nova época.

Retomando o tópico futebol, já é conhecido o calendário da primeira liga, o FC Porto recebe o sempre difícil Vitória de Guimarães e sabemos como é importante começar bem. 

Sobre o resto do calendário não é o melhor, com uma deslocação à Madeira para jogar ante o marítimo logo na 2ª jornada, e a recepção ao colo colo de Carnide no Dragão na 5ª jornada. Se fosse possível escolher eu preferiria que os jogos mencionados anteriormente tivessem lugar mais à frente, mas foi o que ditou o sorteio, e utilizando um lugar-comum, todos têm de jogar contra todos, e a maior regularidade ditará o vencedor no final. 

Este campeonato será muito exigente, com a particularidade de três visitas à Ilha da Madeira (só para o campeonato), por isso é bom que o trauma da “ilha” seja superado, assim como “a síndrome da ponte” nas deslocações a Lisboa. Se Julen Lopetegui aprendeu com os erros do passado, então podemos ter esperança mesmo com arbitragens “sabujas”. Assim espero e desejo as maiores felicidades e sucessos ao FC Porto em todas as modalidades para 2015/2016.

Votos de boas férias a toda a Família Portista para quem for aplicável, e que este ano não só sirva para sarar feridas, ganhar confiança e respeito, criar um projecto sólido, mas também para enriquecer o museu do FC Porto com muitas taças.

FC Porto a vencer desde 1893.

A Chama do Dragão é Eterna!

FC Porto sempre!

  


 Por: BluePunisher


Enviar um comentário
>