quarta-feira, 7 de março de 2018

As toupeiras



As toupeiras 

Num país de sub-mundo
Sobressaem as toupeiras, 
E só elas alargam mais as fronteiras 
Que levam este país ao fundo...

A Justiça a descoberto 
Nos interesses da "instituição", 
E tanta, tanta corrupção 
Em campo aberto!

O tetra, dizem as virgens ofendidas,
É imaculado!?
Foi no futebol jogado 
Em várias partidas!?

Em vários tabuleiros 
Se ganharam jogos, 
Qu'eles não foram de modos 
Pr'a serem primeiros!?

Se corrompem oficiais
Da pseudo-justiça,
Imagine-se a premissa 
Noutros jogos florais!?

E vai esta gente  
Vender a justiça, 
Pr'a se ter na lista 
Do lugar à frente!?

Pr'a lá ter uma borla
Pr'a si e amigos, 
E lá irem ver os jogos 
Da bola...

Na viciação 
De tod'o sistema, 
Esta gente é plena 
De falsa isenção!?

Como é que s'incentiva
O nosso dito clube, 
Quando do mesmo se sabe 
Em corrupção activa?!

Com que moral 
Se vai apoiar uma equipa, 
Na qual participa 
Gente sem ideal?!

Com que estatuto 
Vou a esse jogo a convite, 
Porque por simples clubite
Me tornei num corrupto!?

E praticando actos ilícitos 
Pr'a me promover e ao clube,
Ainda me refiro ao youtube 
Em pressurosos juízos críticos?!

Vale tudo pr'a vencer
Na premissa de tal gente,
Que pr'a eles lhes é indiferente 
A sua razão de ser!?

Não há nisto ética, 
Nem honra ou pudor, 
E pr'a eles tudo é amor
Ao benfica...

Este sentimento 
De pura impunidade, 
E mesmo faltando à verdade 
Faz-se o juramento!?

Os ditos oficiais 
Da nossa justiça, 
A quem se lhes dá a liça 
No registo dos anais!!

E no vitral 
Daquele processo, 
Um novo acesso 
À "catedral"!?

Tanto bilhete 
Pago por borla, 
E o funcionário vai ver a bola 
Num sentimento diligente...

Cheia de garbo
Lá vai a toupeira,
Porque ela é sempr'a primeira 
A ter o bilhete "pago"!!

E vem de terra 
Justiceira!
Porque assim é a toupeira 
Quando ferra!

E esgravatando 
Tudo ao redor, 
Não tem pudor 
No seu desmando!

Tem-se a ordem e o direito 
Nas mãos de tal gente,
A quem lhes é indiferente 
A razão do pleito!

Desde que sirva
Os interesses da "instituição",
Não lhes interessa qu'a sanção
Não seja justa e cega...

Por isso s'actua 
Nos túneis da toupeira,
E a informação cimeira 
Já caiu na "rua"...

"Segredo de justiça" - 
Nas mão de tal grei?
E o primado da lei 
Num juiz de missa?

Quem que dá crédito 
A este país, 
Onde até um juiz 
Se faz reitor por mérito?...

Ontem na TV
Eram só baratas tontas, 
Que se faziam prontas 
A justificar o quê?

Qu'era uma "resposta"
Da instituição!?
Uma justificação 
Daquelas qu'o povo gosta!

Essa outra toupeira 
Dos nossos canais, 
E tantos, tantos outros animais 
A cair na ratoeira...

Joker

Enviar um comentário
>