quarta-feira, 21 de março de 2018

O clube querido


O clube querido

Qual é o clube mais querido
De Portugal?
Aquele que dá um lugar anual 
A cada menino detido?

Aquele que, na Assembleia, 
Se discute p'lo segredo de justiça,
Esquecendo-se da maior premissa 
Qu'o envolveu na teia?

O clube do grande Negrão 
E o do nosso primeiro!
O maior do mundo inteiro 
A contar do Marão!?

O clube do nosso ministro
Das finanças!
Aquele que dá boas cobranças 
A tod'o valor do fisco!?

O clube do Frankc Vargas,
Esse vector das classificações...
Que ditou francas revisões 
Só pr'a criar outras vagas!?

Esses árbitros d'aviário
Feitos internacionais, 
Pr'a eles serem ainda mais 
No quadro prioritário!?

Os provetas do apito 
Armados ao pingarelho, 
Apoiados p'lo Conselho 
E p'la sua associação do descrédito...

O Veríssimo, o Tiago,
O Pinheiro!!?...
Que vastíssimo vespeiro
Neste apito dourado!!

O clube do Mota,
Do Adão e do Cabral!?
E nada se passa de mal 
Ao dar-se "cabo da nota"...

O clube do Paulo,
Esse "portista ferrenho"!!
Qu'o seu maior engenho 
Foi meter o Citius a salvo!!

O Clube do Júlio
E do José...
E darmos nós plena fé 
Qu'a justiça vem em nosso auxílio...

Com tais servidores 
Por "oficiais",
Vão-se-nos os anais 
Nas mãos de tais "trabalhadores"..

Esses benfiquistas doentes 
Que tudo põem em causa, 
E quererem vingar a farsa 
De que são nisto inocentes...

E em nome da vitória 
Do seu clube querido, 
Faz-se da justiça um valor invertido 
Pr'a sua exclusiva glória!?

Quem é esta gente 
Que nos governa?
Que clube se nos enferma 
A classe dirigente?

O benfica,
O clube do regime!!
Quem é que nisto o define 
E s'o classifica?

Quem pode advogar a conquista 
Por tais ínvios meios?
E celebrar, sem maiores receios, 
Uma vitória já vista?!

Quem pode mencionar 
Em plena Assembleia da República, 
Qu'existe uma causa única 
Na qual se pode votar?

E passar por única verdade
Essa razão do clube querido!?
E o país ser derrotado 
Na falta de liberdade?!

Por falta de diversidade,
Da liberdade alheia,
E ter nessa casa "meia"
Apenas a arbitrariedade?

E falar-se com tal gáudio
Ali desse clube querido
Estando o país encolhido 
Por se encher tal estádio!?

Cheio de fátua comitiva 
Que lhe ocup'os camarotes, 
Os fidalgos e os fidalgotes
Desta nação conviva!?

E tudo ali se ajunta 
Na segunda circular,
Pois qu'o convite vai pagar 
A restante conta!

E cruza-se o político 
C'o "jornalista" e o "oficial", 
O árbitro e o vogal
Mais o juiz do "cívico"!

Ali está a corte 
Do Portugal "moderno",
Por isso se chama "inferno"
O qu'ali se dá à "morte"!

Até o nosso primeiro 
Pede bilhetes pr'os filhos!?
Qu'eles são uns maltrapilhos 
P'la falta de dinheiro!!

Esta classe política
Não tem pudor!!
É tudo da mesma cor
No que toca ao benfica...

O clube querido
Do regime;
E Portugal nisto se define:
Um país vencido!!

Joker

Enviar um comentário
>