sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Carta ao Presidente


Caro Presidente,
Seria injusto
Que depois do susto,
Me fosse indiferente
A sua entrevista,
O seu modo d’estar,
A sua boa forma!
Qu’ainda não se conforma
A parar!

Fiquei satisfeito,
Confesso!
Que não está desconexo,
Qu’ainda leva jeito,
E que pensa bem,
Numa linguagem lúcida,
Em que não falta astúcia
Par’o dizer a quem!

Notei-lhe esse vigor,
O mesmo d’outrora,
E ontem como agora,
Que continua um Senhor!
Um cavalheiro,
Mesmo pr’os detractores,
Que simples amadores,
Só pensam no dinheiro…

Notei-lhe a confiança
Pr’a esse novo mandato,
E que já estava farto!!
Daí a mudança…
Que ainda tem projectos,
Pr’a reforçar no clube,
E em novo mandato alude
Mudar tais métodos…

E apostar na escola
Qu’é nossa essência,
Através dessa emergência
Que na B, descola!
E depois do Peseiro
Mostrar tal assertividade,
Pensei qu’em si a idade
É plano corriqueiro…

Senti pois tal sinergia
Nesses dois discursos,
E por tais concursos,
Vi pois, alegria!
Nos olhos do treinador,
E no seu rosto confiante,
Que daqui a diante
Não pode ser pior…

Algo vai mudar,
Pr’o bem do nosso Porto,
E o que vi no seu rosto
Deu-me a confiar,
Qu’ainda vamos vencer
Mais qu’o orgulho!
E que nisso pois, embrulho,
O meu mau-perder!

Nada nisso está perdido
E não há tolha ao chão,
E no Porto não há perdão
Pr’a quem se dá vencido….
Coisa que foi do Lope,
Depois do jogo do Rio Ave,
O que é muito grave!!
Acusando o golpe…

Quero pois, acreditar
Nas suas palavras…
(Que não são amargas)
No seu modo d’estar!
E sabendo qu’a fraqueza
Veio do treinador,
Era fazer pior
Manter a incerteza…

E no estilo de jogo
Que não concordava,
Com o que clamava
O fragor do povo!
Mas ainda assim,
Há erros que crassos,
Deixam embaraços
Numa resposta “nim”!

É o terceiro ano
Desta má gestão,
E se não campeão,
Qual será o plano?
Mantém-se o treinador
Em total confiança,
Mesmo se em tal cobrança
Lá ficarmos pior?

É pois tudo incerto,
Mas nas sua atitude,
Vi muita saúde
Para dar correcto!
E no Peseiro, o riso,
Encheu-me d’esperança!
Haverá bonança
Depois deste atraso?

Tenha pois saúde,
Caro Presidente!
Vejo-o assim contente,
No bem que nos coube!
E creia que o desejo
Deste seu adepto,
É qu’esteja certo
No qu’eu não prevejo…

Por: Joker
Enviar um comentário
>