sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Resultado feito!


 RESULTADO FEITO!

A sonegação dos factos,
O esconder das evidências,
E nisto marcar conferências
Pr'a s'exigir tais hiatos,

É prova da mentalidade
Enraizada no totalitário,
Como s'o mundo fosse primário
Na sua arbitrariedade!?

E nem perante tal prova
De tamanho imensurável,
Há registo censurável
De qu'esta gente soçobra!?

Num mutismo inquietante
Governa-se a Nação,
E estando à porta a competição
Não há seriedade o bastante...

Não há nisto garantia
Que tudo não esteja já decidido,
Pois qu'o "grande" arguido
Só está preso p'lo qu'acedia...

E pondo em causa o Estado,
Em si a própria Justiça,
Aplicou-se-lhe a premissa
Que se negou ao culpado!?

E quem nisto corrompeu
Pratica actos "desportivos",
Aliciando os "amigos"
Em troca dum "lugar no céu"...

Ali no centro da "Catedral"
Juntavam-se políticos, juízes,
Funcionários e meretrizes
Deste "reino" Portugal!?

Assim se festejavam vitórias
C'a águia por simbologia,
E "tod'o país"aderia
Às suas proezas e glórias!!

A águia das legiões,
De Hitler e do próprio "Duce",
A que se junt'o "fascio"
Das suas organizações,

Impera num simbolismo
Que tresanda a Estado Novo,
Porque o "benfica é o povo"
Num travo de romantismo...

E nisto podem vencer
C'as armas que bem entendem,
Porque eles nunca se prendem
Naquilo qu'os faz perder...

E podem nisto ostentar
Uma moral superior,
Porque deles advém o primor
Ao se "jogar"...

Ou num simulacro
De jogo e circo,
Onde até o palhaço tem um apito
Pr'a se fazer de pároco!?

E depois de tanto giga
Ainda colocam questões,
Pois deles vêem as "legiões"
Dessa gente amiga!!

E nessa evidência
De tanta corrupção,
Há apenas uma conformação
De potência!?

Eles tudo podem
Pr'a ganhar, vencer!?
E nada os deit'a perder
Naquilo que joguem!!

Pois, eles são o país,
A própria nação!!
Nisto não há confusão
Na nossa raiz:

Somos este povo
Ignaro, saudosista,
De travo fascista
Num velho Estado Novo!!

E não s'os podendo vencer
Nisto ainda nos calam,
Porque eles não se ralam
C'o que pode parecer!!

E se cheira a bafio
De velho Estado Novo,
Invoca-se o povo
Por razão e brio!?

E se nisto s'anuncia
De novo a censura,
É uma prova o quão madura
Está a nossa democracia...

Em nome "regulamentar"
Calam-se vozes discordantes,
Porque nist'os nossos garantes
Baqueiam no poder disciplinar!?

O país está suspenso
Em prova tão concludente,
E quem acredita qu'o tal dirigente
Um dia acabe preso?

A não ser que dali caia
Do alto do "terceiro anel",
Pode roubar a tropel
Que não há prisão que lhe saia!?

E nisto pod'o benfica
Continuar a confundir-se c'o Estado,
Porque isso é um facto consumado
Que nem a internet claudica!!

E nist'o velhinho Estado
Pode continuar a ser "Novo",
Porqu'o poder está no "povo"
E já se sab'o resultado...

Ganh'o benfica!!

 Joker

Enviar um comentário
>