quinta-feira, 4 de junho de 2015

O que passará na cabeça de JJ?


Como quase todos os treinadores de nomeada também Jorge Jesus construiu a sua carreira de baixo para cima, embora com alguns solavancos menos positivos pelo meio, lá foi paulatinamente conseguindo o seu lugar de topo no panorama nacional, sendo hoje considerado no nosso meio o treinador do momento, idolatrado pela massa benfiquista que o considera uma espécie de Deus associado ao seu nome, e desejado pelos dois mais emblemáticos clubes portugueses que não se importariam de o ter nas suas fileiras, e eu mesmo como incondicional adepto do FCP também não enjeitaria essa possibilidade, se bem que, o sistema tático que JJ mais aprecia não é de todo aquele que o meu clube pratica em toda a linha, desde a equipa principal até à formação, situação que poderia trazer alguns problemas de ordem estrutural para o meu clube.

Mas no panorama atual, ou seja, depois de ter conseguido ganhar dois campeonatos seguidos na sua já longa estadia como treinador do SLB, o que se passará realmente na mente de JJ? Será que quererá continuar no SLB por mais alguns anos, a exemplo de um Alex Fergunson ou Arsène Wengerno Reino Unido, ou estará disposto a sair e apostar noutros mercados e outros projetos mais audaciosos para provar que também está capacitado? Esta será, porventura, a pergunta que muitos de nós gostávamos que fosse respondida pelo próprio nos próximos dias, ao contrário da comunicação social especializada que lhe interessará mais prolongar este enigma para vender mais informação como será óbvio.

Na minha opinião, a mente de JJ deve estar dividida entre duas alternativas, passando a primeira por uma situação de mais fácil resolução e de menor risco assumido, passando pela continuação do atual projeto alicerçado na vontade incondicional dos seus adeptos, mas com algumas restrições da SAD tendo em conta os atuais valores do seu contrato, que a mesma já se pronunciou no sentido de ter de haver uma revisão salarial e uma aposta na formação, e a segunda por JJ ter no seu horizonte desportivo vontade para mostrar a si próprio e ao público em geral que também é competente fora do seu ninho de águias, um pouco ao que acontece com Leonel Messi, em que eu continuo a hesitar se o hei-de considerar o melhor jogador do mundo da atualidade, pelo simples facto de que nunca mostrou que também o poderia fazer fora do seu habitat de sempre, o Barcelona, ao contrário de Cristiano Ronaldo que já o provou por diversas vezes.

Ainda sobre a possibilidade de JJ sair do SLB, que eu continuo a acreditar que esteja numa percentagem a rondar os 50/50, a minha dúvida quanto à sua saída para encabeçar um novo projeto fora do seu país, não estará de modo algum pela falta de competências técnico/taticas onde já demonstrou serviço, mas sim, preferencialmente, por razões de ordem psicológica e de capacidade de enfrentar outro tipo de cultura desportiva, muito ao jeito do que Mourinho sempre foi capaz de realizar com o sucesso que muitos de nós lhe reconhecemos e que ele tão bem domina, na vertente dos, “Mind Games e do conceito de Coaching”.

Por último, e apesar de os órgãos de comunicação social começarem a alimentar a hipótese de JJ sair do SLB e se transferir com armas e bagagens para o seu rival da 2ª circular, o que seria uma espécie de bomba atómica entre rivais que no nosso meio não estamos habituados a ver, ou até a muito improvável opção para o FCP, eu ainda acredito que tudo não passará de boatos de ocasião, dado que em causa não estaria só a mudança de clubes, mas também, o risco que a própria troca poderia causar no próprio JJ, não só de ordem desportiva como também no convívio com os adeptos do vizinho do lado, que nunca mais lhe perdoariam a ausadia da sua mudança, podendo mesmo chegar ao ponto de represálias contra JJ e entre os adeptos dos dois rivais da 2ª circular.

Por: Natachas.

Enviar um comentário
>